Santa Cruz visita o Figueirense em busca da vitória e quer usar torcida adversária a favor


Com dez jogos restando para o fim da Série B, 16 pontos separando o time da permanência na segunda divisão e contra um adversário direto contra o rebaixamento, o Santa Cruz só tem um objetivo. Contra o Figueirense, às 16h30 deste sábado, o técnico Marcelo Martelotte afirmou que só pensa em vencer. Um mantra que foi disseminado entre o grupo coral durante a semana. 

Dentro da zona de rebaixamento, ocupando a 18ª colocação, O Santa Cruz está a exatamente a três pontos do Figueirense, que é o time que abre a zona de rebaixamento, na 17ª posição. Uma vitória não fará o Tricolor do Arruda sair da zona da degola, mas só de trocar de lugar de posição com o adversário direto já seria um fator psicológico importante para um elenco que vem sofrendo há várias rodadas com o fantasma do rebaixamento. Por isso, só a vitória interessa. 

“A ideia é vencer. A estratégia é que tem que ser equilibrada. Você tem que respeitar o adversário e tem que entender onde você pode ser mais forte que o adversário. Não existe o pensamento que o importante é não perder. O importante é vencer”, afirmou o técnico Marcelo Martelotte. 

As palavras do técnico foram repetidas por quase todos os jogadores que concederam entrevistas durante a semana e uma das formas de tentar superar o Figueirense no Orlando Scarpelli é utilizar a mesma tática que os adversários têm usado para complicar a vida do Santa Cruz no Arruda. Pela situação de tabela que as duas equipes envolvidas no duelo desta tarde atravessam, o técnico coral sabe que existirá uma pressão grande por um bom resultado e isso pode ser benéfico para os tricolores. Porém, nada que facilite a vida dos visitantes.

“São dois times que passam por situação parecida no campeonato. O torcedor com certeza não está satisfeito com essa situação e é mais difícil para o time que vai jogar em casa. Sempre se precisa dar uma resposta para o torcedor para diminuir essa pressão. A gente espera um jogo muito difícil porque o adversário é muito qualificado”, explicou.

Com esse pensamento a intenção de manter a posse de bola nos treinamentos da semana começa a fazer ainda mais sentido. O objetivo é colocar os adversários em conflito com a própria torcida e torcer para que a tática dê certo ao ponto do Santa Cruz voltar a balançar as redes. Algo que não ocorre há três jogos, mas que tem sido encarada com normalidade por Martelotte. Tanto que o técnico repetirá a escalação da última partida e tem fé que o atacante Grafite, que só marcou um gol em oito jogos na Série B, possa finalmente desencantar. 

Adversário
A grande dúvida do técnico Milton Cruz para enfrentar o Santa Cruz é se ele poderá contar com o atacante Jorge Henrique ou não. Caso o atleta afirme que tem condição de atuar os 90 minutos, o atleta será titular. Caso Cruz não acredite que ele possa ficar toda a partida em campo, Joãozinho deve começar a partida e Jorge se torna opção para o decorrer do duelo. Fora essa dúvida, o time do Figueirense está definido e sem grandes mudanças. O único desfalque é o atacante Henan, que ficará fora das duas próximas partidas do Figueira. 

Ficha do jogo

Figueirense
Saulo; Dudu, Leandro Almeida, Henrique Trevisan e João Lucas; Zé Antônio e Pereira; Patrick, Marco Antônio e Jorge Henrique (Joãozinho); Zé Love. Técnico: Milton Cruz. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.