Artilheiro de Tite na Seleção, Gabriel Jesus amarga jejum de gols de um mês



O jejum de um mês do artilheiro da Seleção Brasileira na era Tite liga um sinal de alerta no time nacional a menos de seis meses da Copa do Mundo na Rússia. Gabriel Jesus não marca desde o dia 18 de novembro, quando abriu o placar para o Manchester City na vitória por 2 a 0 sobre o Leicester, pela 12.ª rodada do Campeonato Inglês. De lá para cá, foram oito jogos da equipe, sendo seis pelo Nacional e mais dois pela fase de grupos da Liga dos Campeões. Jesus foi titular em três e terminou em campo somente em um deles. Na goleada por 4 a 0 sobre o Swansea, nem saiu do banco. A fase não é das melhores. Domingo, ele desperdiçou um pênalti na vitória por 4 a 1 sobre o Tottenham. Tite acompanhou parte do jejum.

O atacante sabe que pode fazer mais. Mesmo sem balançar as redes, Gabriel Jesus vem tendo atuações razoáveis. Na vitória por 2 a 1 sobre o West Ham, deu assistência para gol. Foi ainda decisivo na criação de jogadas ofensivas contra Huddersfield, Southampton e o rival United. Sabe, porém, que precisa balançar as redes. Pep Guardiola foi bastante específico ao comentar a chegada do brasileiro ao futebol inglês no início do ano. “Estamos comprando gols”, ressaltou, nA secura de Gabriel se contrapõe ao bom momento do City no Inglês, com 16 vitórias seguidas. Por isso, a tendência é que o treinador se sinta seguro da forma como vem acionando o brasileiro, que perde espaço depois de início avassalador, quando fez três gols e deu duas assistências nas primeiras três partidas. Gabriel Jesus tem 17 gols em 35 confrontos oficiais pela equipe de Manchester.
Tite e o coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, assistiram in loco a duas partidas do City na Inglaterra. Na derrota por 2 a 1 para o Shakhtar Donestsk, pela Liga dos Campeões, eles viram Jesus pouco inspirado desperdiçar boas chances de gols. Quatro dias depois, estavam no estádio na vitória (2 a 1) sobre o United, quando o pupilo da seleção brasileira foi substituído no começo do segundo tempo, após atuação segura, mas ainda pouco efetiva. Tite monitora todos os seus principais jogadores da Copa.

Na Seleção, o retrospecto do atacante é animador. Jesus fez seus sete gols em 11 jogos, todos nas Eliminatórias, além de ter dado cinco passes para gols. Ele e Neymar combinam feito café com leite. De volta ao Allianz Parque quase um ano após deixar o Palmeiras, fez dois gols na última rodada das Eliminatórias, na vitória do Brasil, que já estava classificado, sobre o Chile por 3 a 0.

Sob o comando de Tite, tem um gol a mais que Neymar, que estava acostumado a ser o principal goleador da equipe nacional desde suas primeiras convocações. A estrela do PSG fez 17 gols com Mano Menezes, 18 com Felipão e 11 com Dunga. Com Tite, balançou as redes seis vezes.

“Ninguém tinha convocado o Gabriel Jesus antes porque ele ainda não tinha explodido”, disse Tite, depois das Eliminatórias. “O Palmeiras deu esse legado à seleção e ao City. O City também tem de agradecer ao Palmeiras e a todos os seus técnicos porque fizeram esse jogador. Estou colhendo os fruto deles e agradecendo bastante.”


GOLS
Principal esperança de gols da seleção ao lado de Neymar na Rússia, Gabriel Jesus passa por processo de lapidação que o próprio Guardiola ajuda. “Ele tem tudo para ser um dos maiores do mundo, mas ainda há fatores que precisam melhorar”, ponderou o espanhol, recentemente. “Estou aqui para ajudá-lo. Precisa correr menos com a bola nos pés. No dia em que tiver calma e observar os movimentos que tem de fazer, se tornará como Ronaldo.”

No City, o brasileiro começou a perder espaço desde que Agüero, maior artilheiro da história do clube, recuperou-se de lesão grave na costela após acidente de carro. “Os dois estão em sua melhor forma e escolher apenas um para jogar no ataque é uma das minhas decisões mais difíceis”, explicou Guardiola. “Mas temos muitos jogos ao longo da temporada e eles terão oportunidades de fazer o que sabem, seja saindo do banco ou começando a partida”.

A principal razão para ter de escolher um ou outro é tática, e tem a ver também com a lesão do lateral-esquerdo Benjamin Mendy, fora dos gramados até abril do ano que vem - ele rompeu os ligamentos do joelho direito. “Agüero e Gabriel Jesus jogaram juntos enquanto tínhamos o Mendy. Ele jogava bem aberto, e o ponta poderia infiltrar pelo setor. Sem Mendy, Delph (que atua improvisado na lateral esquerda) não consegue fazer o mesmo trabalho.”



Líder invicto do Campeonato Inglês, com 11 pontos de vantagem sobre o rival Manchester United, o City tem incríveis 96,3% de aproveitamento depois de 18 rodadas. No próximo sábado, às 13h (de Brasília), enfrentará em casa o Bournemouth, que luta para não ser rebaixado. Na Liga dos Campeões, terminou a fase de grupos com cinco vitórias e uma derrota, líder do Grupo F, que também tinha Shakhtar, Napoli e Feyenoord. Está classificado para as oitavas, fase em que enfrentará o Basel, da Suíça, nos dias 13 de fevereiro e 7 de março. Até lá, Tite espera que Jesus volte a fazer seus gols.aa ocasião.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.