Após contratação de Ricardo de Moura, Joanna Maranhão anuncia que não fica na Unisanta

A pernambucana Joanna Maranhão anunciou no início da tarde desta quarta-feira a saída do Unisanta, clube que defendeu durante a temporada 2017. A justificativa dela foi a contratação, por parte da equipe de Santos-SP, de Ricardo de Moura, ex-dirigente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), que chegou a ser preso no ano passado devido a irregularidades na entidade.


Joanna usou as redes sociais para confirmar a não renovação do contrato com a Unisanta, que terminou no fim do ano passado. No Twitter, ela citou nominalmente Ricardo de Moura. “Fiz post no insta e face sobre meu deslocamento da Unisanta. Não lutei 11 anos contra antiga gestão da CBDA pra ter Ricardo de Moura como coordenador técnico. Grata pela temporada de 2017, sigo em busca de novo clube (SIC)”, escreveu a nadadora.


Ricardo de Moura trabalhou durante 11 anos na CBDA, onde era o braço direito de Coaracy Nunes, que presidiu a entidade durante 29 anos até ser afastado pela justiça. No início do ano passado, os dois foram presos na operação Águas Claras, deflagrada pela Polícia Federal, por desvio de dinheiro e fraude em licitações. Após 82 dias, juntamente com outros dois ex-dirigentes da CBDA, foram soltos graças a um habeas corpus. No fim do ano passado, Moura começou a circular na Unisanta, que até hoje não confirmou qual seria o posto dele no clube.


Em texto no instagram, Joanna escreveu mais. Ressaltou toda sua luta enquanto atleta contra a antiga direção da CBDA. Ela fez também agradecimentos à Unisanta, entre dirigentes e comissão técnica. “Por questões morais, acabei me tornando por consequência do meus posicionamentos, referência de ética enquanto atleta e, é o que faz sentido pra mim e me traz sensação de dever cumprido ao final de uma prova”, disse, em um trecho.


Em 2017, Joanna se casou com ex-judoca Luciano Corrêa. Embora morasse em Belo Horizonte com o marido, uma vez por mês ela ia a Santos, no litoral paulista, para consultas com a comissão técnica da Unisanta e avaliações. Nos demais períodos, treinava sozinha em Minas Gerais. A última temporada foi muito positiva para a atleta de 30 anos, maior detentora de recordes na natação brasileira: são 12 em vigência no total.


Agora, Joanna diz que vai em busca de um novo clube para defender em 2018. No momento, ainda sem competições e em início de temporada, Joanna se prepara para participar de uma disputa de dança na TV Record.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.