Sem Grafite, Santa Cruz corre para contratar referência


Sem explicações da diretoria, Grafite anunciou a sua saída do Santa Cruz em uma rede social, nessa segunda-feira (22), com o desligamento confirmado oficialmente pelo clube. A desistência do atacante em permanecer no Arruda para a temporada 2018 escancara a carência de um “homem gol” no elenco comandado pelo técnico Júnior Rocha. Agora, com a falta de centroavante, a cúpula coral corre atrás do prejuízo e busca no mercado a contratação de um atacante de referência, algo que não fez antes de iniciar as competições.

“Estamos atrás de atacante. Já temos alguns nomes, começamos a negociar, mas não posso revelá-los para não atrapalhar as negociações”, declarou o treinador tricolor, que logo quando se apresentou avisou que não abriria mão de atuar com um jogador centralizado no ataque. Sem sequer um reserva no plantel, a única alternativa tem sido improvisar os meias Daniel Sobralense e Jeremias como falso 9. Sacrificados, o experiente e o jovem, respectivamente, ainda não se firmaram na função.

O adeus de Grafite foi curioso. Isso porque ele chegou a conceder uma entrevista coletiva, no dia 3 de janeiro, para confirmar a sua permanência até o fim deste ano e participou de dois treinamentos da pré-temporada, em Aldeia. Inclusive, prometeu foco dentro de campo e pediu 15 dias para entrar em forma. Mas tudo mudou depois da viajem para Dubai, onde passou mais de uma semana resolvendo assuntos particulares. Mesmo sem nenhum centroavante, a direção liberou o camisa 23, garantindo que já existia um pedido do atleta antes do acerto da renovação.

Como voltou dos Emirados Árabes no início da maratona de jogos, o atacante parou de treinar e não apareceu mais no Tricolor. A Folha de Pernambucano conversou com o vice-presidente do clube, Tonico Araújo, um dos responsáveis por negociar a permanência do jogador, que não deu esclarecimentos sobre a ausência do ídolo de 38 anos.

Após pensar em parar no final do ano passado, Grafite desistiu de pendurar as chuteiras para seguir nos gramados. Porém, ele deve confirmar a aposentadoria nos próximos dias. No Arruda, foram quatro passagens (2001, 2002, 2015-16 e 2017). Ao todo, disputou 123 jogos e marcou 50 gols, além de conquistar o Campeonato Pernambucano 2016, a Copa do Nordeste 2016 e um acesso à Série A em 2015. Apesar das glórias, amargou dois rebaixamentos seguidos.

Grafite virou uma referência no futebol. O currículo dele fala por si só. Já defendeu grandes clubes brasileiros, como Grêmio, Goiás, São Paulo e Atlético/PR. Fora do País, também marcou história. Jogou no Le Mans (França), Wolfsburg (Alemanha), Al Ahli (Emirados Árabes) e Al-Sadd (Catar). Seu auge foi em 2010, quando disputou a Copa do Mundo de 2010 pela Seleção Brasileira.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.